O mais realista de todos é o otimista

Tudo que leio, que busco em vídeos, me diz a mesma coisa: “O otimismo é a principal característica das pessoas bem-sucedidas”. Porém, este otimismo não é aquele que reza por algo bom sem justificativa, mas sim do tipo que espera coisas boas de ações executadas com um objetivo específico.

Muitas pessoas apontam para objetivos baixos, sem muita ousadia ou coragem, com a justificativa de serem pessoas “realistas”.

Mas seria isso realismo ou pessimismo?

Realismo é entender a realidade. Aqui e agora. Neste tempo, nem passado nem futuro, nem pior ou melhor.

Otimismo é achar que amanhã será melhor que hoje.

Nesta visão, não tenho como discordar, o otimismo é, sim, uma das características das pessoas de sucesso. Elas estão convictas de que o amanhã será melhor. E trabalham constantemente com essa visão, apontando a “mira” sempre para os seus objetivos.
Keith Cunningham, radialista irlandês, falou uma vez que temos que ter duas linhas de raciocínio: uma linha do que “é”, e outra do que “tem que ser”. É… Tem que ser.

Na primeira temos que ter coragem de enxergar exatamente o que “é”, sem rodeios, sem achismos, sem opiniões, sem nada que possa distorcer a sua visão. Na segunda temos que definir o que “tem que ser”. Não é o que “eu quero que seja”, nem o que “desejo que fosse”.

Assim, temos condições de nos fazer uma das perguntas mais importantes de nossas vidas: O que posso fazer HOJE para melhorar a minha situação?

Não temos como mudar nossa condição do dia para a noite, mas podemos mudar nossa direção, nossa rota.

O otimismo passa pelo entendimento de que a vida é uma autoprofecia. Aquilo que acreditamos que vai acontecer, é o que acaba por acontecer. Isto não se dá por uma razão religiosa ou esotérica, mas sim porque nosso subconsciente trabalha, incessantemente, buscando encontrar, na realidade, formas de contemplar nossas expectativas. Expectativas reais, aquelas que nós guardamos lá no fundo. Então não adianta falar que vai acertar um dardo no alvo, se você não acredita que isso possa acontecer. O segredo aqui é cultivar o otimismo lá no fundo, no seu interior, primeiro de forma muda, contida, até que, naturalmente, ele cresça e traga à luz suas autoprofecias.

As expectativas que temos sobre a nossa própria vida são reforçadas pelas expectativas que os outros também têm sobre nós próprios. Desta forma, os nossos resultados, sejam eles quais forem, são, em grande parte, originados pelas expectativas que nós e os nossos pares têm sobre esses mesmos resultados, através do condicionamento mental que dessas expectativas é originado.
Até mesmo sua saúde sofre influência direta de seu otimismo. Vários estudos, de vários continentes, apontam que quase 80% das doenças possuem uma origem psicossomática. Nossa mente tem o potencial de limitar algumas funções do corpo, o que pode levar ao desenvolvimento de doenças ou acidentes.

As pessoas de sucesso são otimistas. Elas esperam, diariamente, que as coisas lhes ocorram bem. Os otimistas veem o mundo como ele é. Nem pior, nem melhor, apenas o real. Mas o que as separam das outras pessoas é compreender como o futuro pode melhorar. Tendo a visão apurada para o real, eles conseguem enxergar um caminho no futuro para que as coisas melhorem.

Os otimistas veem o futuro e agem. Perseguem seus objetivos até alcançá-los.

Eles são gratos. Focando nos aspectos positivos, agradecem as oportunidades, a vida, ao sol, chuva, neve, vento… Compreendem que possuem tudo que necessitam para alcançar o que desejam. Percebem que podem ter caminhos facilitados, mas não reconhecem qualquer obstáculo como um impeditivo.

Você já percebeu como nossas crianças são otimistas?

Uma vez pedi que meus filhos, de 7 e 9 anos, fizessem uma lista de 50 coisas que gostavam e pelas quais se sentem agradecidos de existirem. Foi espantosa a facilidade que tiveram para passar, com muita margem, o número que pedi. Isso quer dizer que, conforme nós crescemos, nós construímos muralhas que nos impedem de ver um mundo melhor.

Onde vemos problemas, um otimista vê desafios.

Ser um otimista é ver o mundo como ele é, e assim saber como ele reage. Sabemos que quase nada é fácil em nossa existência, mas também sabemos que quase nada é impossível. Não torne seu caminho mais difícil baixando suas expectativas, torne-o mais possível enxergando sua realidade.

Diogo Monticeli Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *