Marcas e o Problema Racial: Tomando uma atitude.

A morte do George Floyd em Minneapolis acendeu mais uma vez o holofote para o problema racial nos Estados Unidos, que voltou a ser pauta de discussão ao redor do globo de forma massiva, resultando em posicionamentos e discursos, seja online ou offline e, inclusive, incitando empresas a se manifestarem e levarem muito a sério o assunto. Assim, marcas americanas publicaram mensagens demonstrando apoio ao movimento Black Lives Matter, através de textos, relatos e, claro, doações.

Já no Brasil, esta questão racial, que sem dúvida é presente na sociedade e de extrema importância ser debatida, continua amplamente ignorada pela maioria da comunicação de empresas, em especial as de serviços.

Grande parte destas empresas que tomaram a frente e se posicionaram foram multinacionais com filiais no país, emprestando seu apoio ao combate ao racismo e à violência policial ocorrida nos Estados Unidos.

Tudo sobre a LGPD - Lei de proteção aos Dados do Brasil
Tudo sobre a LGPD - Lei de proteção aos Dados do Brasil

Um exemplo, a empresa de serviço de streaming Netflix se posicionou publicamente em suas redes sociais, referindo-se não apenas a Floyd, mas lembrando de casos brasileiros, como “David, João Pedro, João Vitor, George Floyd e tantos mais” e, assim, evidenciando o silêncio corporativo em relação à realidade racial no país. Comprovando esta hipótese, a revista Exame de junho fez um levantamento especificamente deste silêncio, e constatou que marcas valiosas, tanto governamentais, quanto do varejo e bancárias, não se manifestaram sobre os acontecimentos ou se posicionaram frente ao movimento Black Lives Matter.

A Russell Bedford Brasil, que apoia absolutamente o movimento e repudia todo e qualquer atitude que ofenda raça, cor, religião, etnia ou origem, já vinha tomando ações internas referentes a este fato faz algum tempo. A união de colaboradores dos mais diversos setores da empresa culminou no planejamento para criação de um Comitê de Diversidade, que inclui entre suas principais pautas a questão racial dentro da empresa, visando dar voz ao diverso e gerando discussões pertinentes a causa.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *